Marketing de conteúdo: da teoria à aplicação prática e quais resultados sua empresa pode conseguir!

Muitos clientes chegam até nós com uma história parecida: ouvi dizer que Marketing de Conteúdo é o que vai salvar a minha empresa! Aumenta o tráfego, engajamento, conversão em vendas, lucro… Então eu contratei um freelancer (ou a empresa X), e acontece que não tivemos resultados. Gastei dinheiro, gastei tempo, e nada de tábua de salvação para a minha empresa!

Para a gente conseguir entender porque a grande maioria das pessoas não tem os resultados esperados quando contrata um freelancer ou até mesmo algumas empresas renomadas para escrever para o blog, precisamos entender exatamente o que é marketing de conteúdo e como utilizá-lo de forma realmente efetiva para que ele realmente traga todos esses resultados que sim, são possíveis! 

 

O que é marketing de conteúdo

Marketing de conteúdo é o processo de planejar, criar, distribuir, compartilhar e publicar conteúdos que alcancem a sua audiência. Ele pode melhorar fatores como:

  • reconhecimento de marca, 
  • aumentar as vendas, 
  • melhorar o alcance das suas publicações, 
  • melhorar o engajamento, 
  • tornar os seus leitores mais leais, daqueles que defendem a sua marca a qualquer custo. 

É importante que esse conteúdo seja de valor, relevante e que seja produzido de forma consistente. Somente dessa forma é possível atrair e converter a sua audiência, levando o leitor a realizar alguma ação lucrativa! 

De forma resumida, em vez de oferecer os seus produtos e serviços (outbound marketing), você entrega informações que tornam o seu leitor mais inteligente. 

A essência do marketing de conteúdo é acreditar que se o seu negócio entregar conteúdo de qualidade de forma consistente, eles irão te recompensar tornando-se clientes leais. 

Aqui já temos a principal diferença entre o que REALMENTE é marketing de conteúdo e o que normalmente nós compramos: conteúdo ruim. 

Marketing de conteúdo tem sempre esses 3 itens que citamos: seu conteúdo precisa ser de valor, relevante e consistente. Se um desses 3 itens falharem, você não tem mais marketing de conteúdo, tem apenas conteúdo ruim sendo criado e distribuído, além de uma boa porcentagem do seu investimento de marketing sendo jogado ao vento.

  

3 pilares do Marketing de Conteúdo

Já que esses 3 itens são tão importantes, vamos detalhá-los um pouco mais! 

Conteúdo relevante

Para construir uma relação de confiança entre o seu negócio e os seus clientes em potencial, todo conteúdo que você produzir precisa se comunicar com a sua audiência na linguagem deles e com base nos interesses que eles possuem. Lembre-se que é sempre sobre o seu cliente e não sobre o que o seu negócio quer promover e alcançar.

 

Conteúdo de valor

O marketing de conteúdo tem a tendência de funcionar melhor quando ele atende a uma demanda reprimida. Também funciona bem quando entrega informações valiosas pelas quais o seu público está buscando, fornece dicas e ferramentas que tornam a vida do seus leitores mais fácil ou que os guia através de um processo complicado em que normalmente eles encontram dificuldade. 

Consistência

Pode ser que você tenha um pouco de sorte de principiante e consiga um conteúdo viral logo de cara, mas ainda assim para continuar a ter resultados, você vai precisar produzir conteúdo com frequência, sem perder a qualidade e sem esquecer da sua audiência.

 

Tudo isso é o que estamos entregando nesse texto. Apesar deste ser o primeiro conteúdo do blog, já temos um calendário editorial para seguir buscando se aprofundar em vários assuntos e sempre trazer informações relevantes. 

Nós também nos preocupamos em trazer uma solução para os problemas que nossos clientes sempre relatam: o fato do “marketing de conteúdo” não trazer resultados para a empresa deles. Quando na verdade o que acontece é que eles não compraram marketing de conteúdo e sim conteúdo ruim. 

O foco do artigo é entregar conteúdo relevante (algo que importe para sua empresa), com valor (já que vamos mostrar como solucionar o problema) e com constância, já que esse é o primeiro de muitos textos que virão.

 

O que o marketing de conteúdo pode fazer pela sua empresa

  • Informar os leads e prospects a respeito dos produtos e serviços que você oferece;
  • Aumentar suas conversões;
  • Gerar relacionamento entre os seus leitores (clientes) e o seu negócio, resultando em aumento da lealdade;
  • Mostrar a sua audiência como os seus produtos ou serviços podem resolver os seus problemas;
  • Criar um senso de comunidade ao redor da marca.;
  • Aumentar o reconhecimento da marca;
  • Gerar mais leads;
  • Diminuir o seu CAC (Custo de Aquisição de Cliente);
  • Aumentar as vendas e aumentar os lucros. 

 

Tipos de Marketing de Conteúdo

Muita gente, ao ouvir “Marketing de Conteúdo” imediatamente pensa em post de blog, e acha que o tal conteúdo só se resume a isso: textos escritos para serem publicados no blog! Mas não é só isso, você pode criar muitos outros tipos de conteúdo que vão deixar a sua interação com o público muito mais rica. 

 

Redes Sociais

Aqui nós temos duas vertentes: o team blog e o team redes sociais. Normalmente, as empresas que têm um blog, acabam apostando todas as suas fichas ali, e se esquecem de que a presença nas redes sociais também é importantíssima, além de ser uma ótima forma de divulgar conteúdos mais completos que você publicou no blog. 

Do outro lado, temos o team redes sociais, que são as empresas que acreditam que não precisam de um blog. Somente as redes sociais bastam. A verdade é que uma boa estratégia de marketing de conteúdo envolve os dois: envolve ter um blog e ter uma boa presença nas redes sociais. 

Mundialmente, podemos encontrar cerca de 3.6 bilhões de usuários nas redes sociais. Só esse número já deveria ser um estímulo e tanto para você começar a divulgar a sua empresa e a produzir conteúdo além do blog! 

Vale lembrar que temos uma infinidade de redes sociais e que você precisa encontrar as que fazem mais sentido para sua empresa! Lembre-se também de que precisa entregar valor. Não crie uma conta no TIK TOK só para colocar seus colaboradores dançando algo esquisito! Isso não agrega em nada para os seus leads. 

Foque nas redes sociais que mais fazem sentido para sua marca. Por exemplo, o Instagram é ótimo para informar e divulgar, praticamente todas as marcas se beneficiam de um bom perfil no Instagram. Já o Facebook é excelente para contribuir em grupos. O Pinterest é a rede social ideal para quem está produzindo conteúdos em imagem e também para quem tem mulheres como público alvo e que atuam nos nichos de tatuagem, artesanato, cuidados com a casa, etc. 

Já o Linkedin é excelente para quem trabalha em negócios B2B, mas não faz tanto sentido para quem vai trabalhar com B2C. Foque seus esforços em produzir conteúdo relevante para aquela rede social de forma constante, não tente fazer tudo. Foque em estar onde seu público alvo está.

 

Infográficos

Os infográficos têm a capacidade de explicar dados complexos de uma forma fácil de entender. 

É uma ótima maneira de explicar conceitos, produtos e serviços. 

Além disso, os infográficos são uma ótima forma de conseguir alguns links, o que também ajuda no SEO! 

Só lembre-se de que para que o infográfico fique bem feito, você vai precisar unir os esforços de um bom design e um bom redator! Se as duas pontas não estiverem em sintonia, as chances de você ter algo ruim são grandes! 

 

Blog

Esse daqui nem precisaria estar na lista! A grande maioria das pessoas ainda resume todo o marketing de conteúdo nele e acreditam que basta “1 post de 500 palavras por semana” para atingir os resultados esperados com o tal do “marketing de conteúdo”. 

O blog é um dos tipos mais poderosos de inbound marketing. Através do post do blog você pode promover outros tipos de conteúdo (como por exemplo os infográficos) e incorporar todos os tipos de conteúdo que você ache relevante passar para o seu público. 

O Blog te ajuda a aumentar o seu alcance orgânico, é uma ótima forma de ter constância nas publicações, te permite tirar todas as dúvidas dos seus clientes internamente, além de ser uma ótima forma de expressar a voz da sua empresa e deixar claro para os seus leitores tudo aquilo que a sua empresa pode fazer por eles e todos os problemas que você pode solucionar. 

Nunca subestime o poder de um bom post no blog, e ao mesmo tempo, evite a qualquer custo produzir conteúdo só por produzir! 

Entre um conteúdo ruim ou não produzir nada, prefira não produzir nada. 

Se for para postar conteúdo raso, sem relevância, que vai só frustrar o seu leitor, não publique. 

Esse é um dos principais pontos de erros que encontramos nos posts de blog que vemos por ai: conteúdos repetitivos, que encontramos em qualquer lugar! Lembre-se de que seu conteúdo sempre precisa ser: de valor, relevante e constante. 

 

Podcast

O Podcast já tinha ganhado o coração dos americanos e agora vem chegando com tudo no Brasil. Algumas plataformas de streaming, como por exemplo o Spotify permitem que você crie o seu próprio podcast de graça! 

O conteúdo do Podcast pode – e deve – seguir os princípios do marketing de conteúdo. 

Atenção a alguns pontos: enquanto um post de blog permite que o seu leitor leia com calma, volte, revise, clique em outros links, acesse outras fontes de conteúdo, estude, anote, o podcast é um conteúdo mais rápido. 

Muitas pessoas gostam de ouvir enquanto estão no trânsito ou enquanto estão praticando algum tipo de exercício físico. Isso afeta diretamente a densidade do conteúdo. 

Se você for criar um podcast, aproveite para criar algo leve, que ajude as pessoas a resolverem problemas mas que não seja algo que elas precisam parar, ouvir, anotar, parar os áudios várias vezes… Isso afetaria diretamente a experiência. 

Foque em conteúdos rápidos, dicas, macetes, entrevistas… Dependendo do seu negócio, você pode usar o Podcast para gravar pequenos pedaços de reuniões internas da empresa, mostrar um pouco como é alguns dos processos de vocês. 

Aproveite o Podcast para criar conteúdos relevantes, de valor e que sejam também criativos! 

 

Vídeos 

Foi feito um estudo que relatou que cerca de 69% dos consumidores preferem se informar a respeito de um produto ou serviço através de vídeos. 

Os vídeos envolvem a criação de um roteiro, gravação, edição ou animação. Tudo isso tem um custo, além disso, muitos donos de empresa preferem não se expor e não gostam de aparecer em vídeos, então, esse acaba sendo o tipo de conteúdo mais complicado (e um dos mais caros também). 

Mas as estatísticas não mentem! A grande maioria dos clientes prefere vídeo e ter vídeos na sua esteira de conteúdos com certeza vai te ajudar a aumentar as vendas e a converter mais leads em clientes. 

Se produzir vídeo for uma realidade para você, invista sem medo, os resultados com certeza virão! 

 

Conteúdo pago (anúncios)

Eu sei que você sempre ouviu que Marketing de Conteúdo é estratégia de Inbound Marketing, que é o “novo marketing, que traz resultado” e que anúncios pagos são o marketing tradicional, o tal Outbound Marketing, que deve ser evitado a todo custo e que não traz tantos resultados assim. 

Apesar de eu ser uma grande defensora do Inbound Marketing, afinal trabalho com isso e entrego resultados assim para os nossos clientes, o Outbound também tem o seu lugar no meu coração, e nas estratégias que montamos aqui para os clientes. 

Além disso, os conteúdos pagos, ou anúncios, permitem que você alcance uma audiência diferente da que vinha alcançando. Isso se torna poderosíssimo quando está bem alinhado com uma boa estratégia de Marketing de Conteúdo. 

Anúncios + Marketing de Conteúdo é uma ótima forma de atrair mais leads, convertê-los e aumentar muito as suas vendas! Se o orçamento permitir, invista nos dois e se surpreenda com os resultados positivos. 

 

Marketing de Conteúdo passo a passo (com análise de resultados!) 

A maioria das pessoas acha que medir resultados, ROI, KPIs, é algo que só serve quando estamos pensando em conteúdo pago e Outbound Marketing, mas isso está longe de ser verdade! 

Existem sim algumas formas de medir os seus resultados e saber se as suas estratégias de marketing de conteúdo estão trazendo dinheiro para o caixa da empresa ou deixando o dinheiro na mesa. 

Defina Objetivos SMART

Se você não tem objetivos com o seu marketing de conteúdo, como saberá se ele está trazendo resultados? 

Antes de iniciar nessa jornada, defina onde você quer chegar, quais resultados você espera e como você vai verificar se essas metas foram alcançadas. 

As metas SMART, devem ser: 

  • Específicas: você precisa saber exatamente onde quer chegar
  • Mensuráveis: Você precisa conseguir medir o seu resultado
  • Alcançáveis: nada de metas malucas que só vão te desmotivar, foque em metas realistas. 
  • Relevantes: não dá para colocar como meta, por exemplo, ter 100 curtidas em uma publicação no Instagram. Aqui na empresa chamamos isso de métrica de vaidade. É aquela métrica que não vai te trazer nada de bom, nenhum resultado financeiro, nenhum engajamento, aumento da relevância da marca, nada, mas que está lá só por fins de vaidade. Evite essas metas. Pense em coisas que são relevantes para o seu negócio e que realmente vão fazer a diferença no fim do mês. 
  • Temporizáveis: em quanto tempo você pretende alcançar essa meta. Muitas vezes acabamos esquecendo do tempo, mas simplesmente falar que você quer aumentar as visitas do seu site em 20% e a sua taxa de conversão em 2%, deixam de fazer sentido quando não colocamos um prazo para que isso aconteça. 

Exemplo de Metas SMART: 

Aumentar o alcance da marca em 10% em 6 meses. Isso pode ser medido através do número de buscas que a sua marca tem no Google. Avalia-se o número inicial, antes de iniciar a estratégia de marketing e após os 6 meses avalia-se novamente para checar o aumento de 10%. Essa meta é Específica, é mensurável, porque temos dados para analisar e checar se a alcançamos, pode ser alcançável (dependendo da realidade da sua empresa e do orçamento), é relevante, pois o aumento da marca faz com que mais pessoas conheçam a sua marca, além de também ajudar no SEO e é temporizável pois estipulamos um tempo de 6 meses para que ela ocorra. 

 

Determine seus KPIs

KPI significa Key Performance Indicator e está diretamente relacionado às metas SMART. 

Por exemplo, se a meta é aumentar o alcance da marca, um bom KPI é o aumento das buscas pela marca no Google, por exemplo.

Outro KPI para essa meta poderia ser o número de seguidores que você possui nas suas redes sociais. 

Dependendo da situação da empresa, até mesmo o aumento da base de Leads pode significar um aumento do alcance da marca! 

É sempre muito importante, juntamente com a meta SMART, você definir qual será o KPI que será utilizado para verificar se a meta  realmente foi atingida ou não. 

 

Defina os tipos de conteúdo que você vai trabalhar

Para definir os conteúdos, pense na sua audiência e na sua persona. 

Para facilitar, separamos algumas perguntas que você pode responder e que te darão um norte a respeito de quais conteúdos criar.

  1. O que a sua audiência precisa que você pode entregar?
  2. Quais as dificuldades que sua audiência está tentando superar? 
  3. Seus leitores precisam de um produto ou de um serviço? 
  4. Como você pode ajudá-los a ter sucesso? 
  5. Onde os seus possíveis clientes estão gastando o tempo deles? 

Tudo isso vai te ajudar a definir o tipo de conteúdo. Por exemplo, se os seus leitores costumam gastar muito tempo nos stories do Instagram, você precisa de conteúdo que caiba nos stories. 

Já se sua audiência busca se informar no Google, fazendo buscas, você já sabe que com certeza você precisa de um post de blog. 

Dica extra:  Caso você não saiba como responder essas perguntas, a forma mais fácil de descobrir é analisando os seus concorrentes. 

Procure pelos top players do seu nicho e veja se eles têm o costume de publicar em blogs, criar vídeos ou se só estão nas redes sociais. Analise o tipo de conteúdo que eles produzem, quais normalmente possuem mais engajamento. 

Use sites de análise como SEMrush ou Ahrefs para analisar o tráfego do site deles e descobrir qual tipo de audiência eles estão atraindo, e o mais importante: FAÇA MELHOR DO QUE ELES FAZEM. 

 

Escolha os seus canais de conteúdo

Depois de descobrir qual tipo de conteúdo você vai postar, é hora de descobrir em qual canal você vai distribuir o seu conteúdo. E aqui as coisas são um pouco obvias. Se você percebeu que seus concorrentes produzem vídeos, e você decidiu produzir vídeos, é óbvio que você precisa estar no Youtube – para vídeos mais profissionais – ou no Instagram, para vídeos mais informais e rápidos. 

Não queira reinventar a roda. Faça o básico bem feito. Vídeos no Youtube ou Instagram, conteúdo escrito no Blog, Feed do Instagram e Facebook, conteúdo em imagens no Pinterest. 

 

Defina o seu orçamento

Em um mundo ideal, você poderia definir o seu orçamento de marketing baseado somente no tipo de conteúdo que você quer produzir e onde você irá vincular esses conteúdos. 

No mundo real, estamos todos lutando para sobreviver e o orçamento é limitado por outros fatores além desses. 

Lembre-se sempre de que é melhor produzir menos, mas bem feito, do que produzir muito conteúdo ruim. 

Com base nisso, responda às seguintes perguntas para te ajudar a ter um norte a respeito de orçamentos: 

  1. Vou precisar de algum produto ou software para gerar esse conteúdo? Vídeos, por exemplo, costumam necessitar de câmera, iluminação, microfone, ferramentas de edição, etc). 
  2. Vou precisar contratar algum profissional especializado? Se você pretende você mesmo escrever os seus conteúdos, pode ser que um profissional especialista não seja necessário, mas lembre-se de que você sempre precisa de um toque de copy e um toque de SEO para fazer a sua estratégia de conteúdo funcionar.
    Já se você vai trabalhar com vídeo, você mesmo pode fazer as edições, mas talvez seja bom contratar um especialista em edição, que vai deixar os seus vídeos muito mais profissionais! 
  3. Como será a divulgação? Essa é uma etapa que é esquecida pela grande maioria das pessoas. Todo mundo acha que o marketing de conteúdo acaba após a publicação do conteúdo, mas a verdade é que não tem como seu conteúdo trazer resultado se ninguém vê-lo. Você precisa pensar se tem formas orgânicas de divulgar esse conteúdo, como por exemplo um perfil engajado nas redes sociais, ou se você vai precisar pagar para atingir alguns leitores diferentes e trazer tráfego para o site. 
  4. Quais ferramentas eu preciso para medir meu KPI? Essa é outra coisa que normalmente esquecemos de incluir no orçamento. As pessoas definem os KPIs, mas esquecem de incluir no orçamento  o valor das ferramentas que farão essa mensuração. Se o orçamento estiver baixo, talvez valha a pena trocar o indicador para algo que possa ser mensurado de forma gratuita. 

Crie e distribua seu conteúdo

Perceba como foi longo o caminho antes de você chegar na parte de criação de conteúdo! Só agora, depois de 5 etapas estratégicas é que finalmente o conteúdo será criado e posteriormente distribuído. 

Lembre-se de que todas as etapas anteriores devem ser utilizadas para montar um calendário editorial estratégico que envolva: conteúdo relevante, de valor, constante e que a sua audiência possa acessar. 

Com base nisso, lembre-se de montar um calendário editorial. Essa é a melhor forma de garantir que o pilar da constância será seguido. 

 

Análise e meça os resultados

Por último, chegou a hora de medir os resultados obtidos e ver se você terá que fazer alguma mudança para atingir as suas metas. 

Não espere o tempo completo para analisar o que você conseguiu. Por exemplo, se a sua meta é aumentar o alcance da marca, e seu KPI é o número de seguidores nas redes sociais e o seu prazo é de 6 meses, não espere 5 meses para perceber que a meta está longe de ser alcançada. 

Meça os resultados obtidos após cada ação, e então averigue o que fez mais sentido para você, qual resultado obtido com cada tipo de conteúdo e se esses conteúdos estão te levando mais perto dos seus objetivos. 

Se tudo deu errado, ajuste a rota, recomece, repense, busque o erro, essa é a única forma de conseguir resultados expressivos. 

 

Alguns exemplos práticos de marketing de conteúdo

Para alcançar os resultados e objetivos, precisamos fugir do óbvio. Não é porque você tem uma imobiliária que você precisa focar em falar apenas de financiamento, como encontrar o imóvel certo para você e assuntos burocráticos do tipo. 

Nicho imobiliário

Esses conteúdos são importantes e ajudam o cliente a tirar dúvidas pontuais sobre o negócio, porém, comprar um imóvel vai muito além disso. 

Se coloque na situação do seu cliente. Pense em todos os medos que envolvem a compra de um imóvel: o que pode dar errado? o que pode impedir que a compra seja realizada? Será que é melhor comprar ou alugar? Esse está sendo um bom investimento? Todos esses são bons conteúdos que podem te ajudar na conversão! 

Mas isso é o básico, é o feijão com arroz – que deve ser bem feito, é claro. Mas pense além. 

Pense nos sonhos que você está realizando. Ajude esse lead a se colocar dentro do imóvel, sonhe  com ele. Dê dicas de decoração, de como ele pode tornar aquela casa em um lar. Dicas de decoração faça você mesmo, inspirações baratas, coisas que cabem no bolso de todo mundo. 

Dê dicas de culinária, de como receber os seus amigos para a inauguração da casa. Dicas de chá bar, chá de casa nova, chá de bebê. 

Faça parte da vida desse leitor, isso com certeza vai influenciar diretamente nas suas vendas. 

Isso foi, por exemplo, o que a Viva Real fez! 

Eles são um portal de imóveis e criaram o Viva Decora, um blog que começou com dicas de decoração de imóveis e coisas relacionadas ao nicho imobiliário, e que terminou ficando tão grande a ponto de virar um e-commerce a parte do site principal. 

Pense em como fazer parte da vida do seu cliente, e os benefícios virão.

 

Nicho adulto

Se tem um pessoal que sofre – principalmente  com a produção de conteúdo – com certeza é o pessoal do nicho adulto. Donos de sex shop, boates, etc. 

Normalmente, é difícil encontrar pessoas que trabalhem com conteúdo para esse nicho, mas não é impossível. 

Mas essa não é a única dificuldade. O nicho adulto também encontra problemas na hora de anunciar e divulgar o conteúdo, já que várias redes sociais não permitem a divulgação desse tipo de conteúdo. A maioria dos empresários acabam se vendo presos a conteúdo de blog e descrição de produtos, mas não precisa ser assim! 

Comece analisando quem é o público alvo que mais consome na sua loja. Vamos supor que o seu público são mulheres, casadas, com cerca de 30 anos, buscando apimentar a relação. 

O mais lógico, para a maioria das pessoas, seria criar conteúdo sobre os produtos, explicando como usar, etc. Mas esse é o caminho mais difícil a seguir. 

A maneira mais fácil de conseguir burlar as restrições das redes sociais e atingir os seus potenciais clientes tanto com anúncios como com tráfego orgânico é através de conteúdo relacionado. 

Você pode falar sobre dicas de relacionamento, dicas de como cuidar da casa (já que o público alvo, nesse caso são mulheres casadas), você também pode falar de saúde e de como estar mais bem disposta ao final do dia. 

Tudo isso são assuntos que interessam ao seu público alvo e que podem fazer com que eles conheçam a sua marca, sem necessariamente oferecer nenhum produto ou tentar burlar as regras das redes sociais. 

 

Nicho de Papelaria

Outro nicho que algumas pessoas têm dificuldade em pensar em conteúdo é o nicho de papelaria. 

As papelarias enfrentam o problema da sazonalidade, por exemplo, já que a grande maioria das vendas está concentrada no início do ano (início do ano letivo) ou então no meio do ano, após as férias de inverno. 

Mas hoje em dia, a papelaria está indo muito além disso. Temos todo o nicho dos bullet journals, os tais study grams (usuários do instagram voltados para o nicho dos estudos), concursos públicos, etc. 

Você pode trabalhar dicas de estudos, dicas de produtividade, dicas de organização, métodos específicos de organização, como fazer fichamento de livros, como criar um bullet journal, como montar um calendário de estudo para concurso público.

Perceba que se fossemos falar apenas sobre canetas e gramaturas de papel, ficaríamos presos em um nicho bem pequeno e em uma quantidade pequena de conteúdo que poderíamos produzir.

Mas a partir do momento que pensamos em produzir conteúdo que realmente agregue algo na vida do cliente, conseguimos gerar uma infinidade de conteúdos que podem ser trabalhados tanto nas redes sociais quanto no blog, e ainda melhorar o posicionamento no Google. 

Todo esse conteúdo extra atrai a atenção de potenciais clientes, que podem acabar ficando apaixonados pela marca e se tornarem leais. 

 

Como pensar – e criar – conteúdos relevantes

Logo que eu comecei a trabalhar com produção de conteúdo, lá em 2013, eu vivia lendo que: marketing de conteúdo era algo a longo prazo, que precisava estar alinhado com a sua estratégia de marketing digital, que as mídias sociais eram imprescindíveis e eu precisava criar muitos conteúdos relevantes. 

Mas isso tudo era muito abstrato para mim. Afinal, o que é conteúdo relevante? O que é Conteúdo de Qualidade? Como eu sei que meu conteúdo é relevante e de qualidade? Só pelas vendas? Só pelos KPIs? Sendo assim, seria apenas na base da tentativa e erro? 

Você também sente que todos esse papo é muito abstrato? Eu consegui trazer isso para a vida real e transformar todo esse papo de guru de marketing digital em ação. 

Você precisa saber o que o seu público quer. 

Para descobrir isso, existem 2 formas simples. A primeira é fazer uma busca no Google, preferencialmente em modo anônimo, com o seu principal produto ou serviço. 

O Google vai te dar uma lista de “as pessoas também perguntam”. Isso serve para te dar um norte a respeito das principais dúvidas que o seu cliente tem em relação ao seu produto e serviço.

Outra fonte da mesma informação é um site que chama Answer de Public. Nele você coloca a sua palavra chave – que pode ser o seu produto ou o seu serviço e ele vai te dar uma lista de perguntas que as pessoas podem fazer em relação ao produto ou serviço. 

Isso te ajuda a ter um norte a respeito das dúvidas dos clientes que afetam diretamente a decisão de compra dos seus possíveis clientes. 

É legal sanar essas dúvidas dos clientes já na descrição do seu serviço ou produto, fazendo com que o cliente não tenha que sair da página para tirar a dúvida e acabe caindo no site de algum concorrente. 

A partir disso, você pode ainda criar conteúdo relevante seguindo a mesma linha de raciocínio e colocar no blog e também nas redes sociais! 

SEO e Marketing de Conteúdo

Você sabe o que é SEO? SEO é Search Engine Optimization, ou Otimização de Sites e de forma resumida são técnicas que utilizamos para conseguir ficar em melhores posições nos mecanismos de busca, como por exemplo o Google. 

Muitos especialistas, ao abordar Marketing de Conteúdo e SEO, abordam como coisas distintas, totalmente diferentes e que não têm nenhuma relação entre si, mas a verdade está longe de ser essa. 

O marketing de conteúdo e o SEO são complementares! 

Para explicar melhor, vamos definir de uma forma mais completa o que e SEO! 

SEO é um conjunto de técnicas que buscam fazer com que um determinado conteúdo fique visível para uma audiência específica que a empresa deseja alcançar através dos buscadores. 

O grande objetivo do SEO é fazer com que o cliente certo chegue até o conteúdo certo através de técnicas que envolvem vários ajustes e otimizações. 

O SEO leva tráfego orgânico (não pago), para os sites através da pesquisa que o usuário faz. 

De forma prática, sabe quando você resolve comprar uma camiseta e pesquisa no Google “camiseta” e aparecem vários sites de forma orgânica para você? Esses sites provavelmente estão lá devido a um bom SEO. 

 

O que precisamos entender é que SEO não funciona sozinho. Ele só é possível através do conteúdo. Só podemos colher resultados de SEO quando temos conteúdo.

E é por isso que a pergunta: marketing de conteúdo OU SEO não faz sentido. Não é uma questão de um ou outro e sim uma questão de como você vai aumentar a visibilidade do conteúdo maravilhoso que você tem através do SEO e do tráfego orgânico. 

Além disso, mesmo alinhando as estratégias de SEO com as estratégias de Marketing de Conteúdo, em um blog corporativo, também é necessário pensar no processo de vendas, alinhar as ações com a equipe de vendas e otimizar conteúdos de acordo com o processo de compra do cliente. 

O mecanismo de busca como o Google é uma ótima fonte de tráfego, desde que você trabalhe conteúdos de qualidade e lembre-se de que toda essas estratégias afetam diretamente o seu custo por venda!

 

Marketing de Conteúdo x Funil de Vendas 

Se tem outro assunto que o pessoal adora, além do Marketing de Conteúdo, esse assunto com certeza é Funil de Vendas! 

Um bom marketing de conteúdo sempre vai levar o seu lead através do funil de venda até que finalmente o lead se torne um cliente. 

Quando você pensa em estratégias de marketing, é muito importante pensar em estratégias globais, que envolvam não só o conteúdo, o SEO, o funil de venda, a aquisição de clientes e a geração de leads, mas como tudo isso pode trabalhar junto para alcançar o mesmo objetivo: uma empresa mais lucrativa. 

As suas estratégias de marketing precisam estar alinhadas para que você consiga trabalhar a produção de conteúdo e as mídias sociais, sem que um atrapalhe o outro. 

E para isso, a melhor saída é pensar não só no Marketing de Conteúdo isolado, mas também no funil de vendas e em toda a Jornada de Compra do cliente. 

A melhor maneira de fazer isso é através dos seus link internos dentro do site e também enviando o cliente de um canal para outro. Por exemplo, vamos supor que você criou um conteúdo de topo de funil, com dúvidas bem básicas que o cliente tem lá no inicio da jornada, quando ainda está descobrindo que tem um problema. 

O próximo passo é você linkar para algum conteúdo que já esteja um pouco mais aprofundado. Dessa forma, você consegue levar o seu cliente ideal pelo seu funil de vendas e ainda gera uma percepção positiva, já que ele tem a impressão de que você e a sua empresa tem todas as respostas para as perguntas deles. Essa, inclusive, é uma ótima forma de fidelização de clientes! 

O funil de vendas e a jornada de compra do consumidor também tem que ser levado em consideração na hora de levar o seu cliente de um canal para outro. Por exemplo, alguns profissionais de marketing gostam de trabalhar a estratégia de conteúdo das redes sociais como uma porta de entrada, ou seja, eles fazem o plano de marketing e a estratégia de conteúdo pensando que as redes sociais terão conteúdo somente de começo de funil, para atrair os clientes. 

A partir disso, eles levam o cliente para dentro do blog e podem passar o cliente para o meio e fim de funil, finalizando tudo com ações de Marketing que acabam por converter o lead em cliente. 

Para isso, é lógico que não basta ter um conteúdo mediano nas redes sociais. É necessário pensar em todo o processo de vendas e nas dúvidas do seu potencial cliente, criando conteúdos ricos para depois enviá-los para os seus blog posts. 

Tudo tem que ser pensado de acordo com o processo de venda e pensando em como o seu potencial cliente toma a sua decisão de compra.

 

Storytelling e Marketing de Conteúdo

Outro termo muito utilizado quando o assunto é conteúdo digital é o storytelling. 

O Storytelling é muito falado, pouco entendido e ainda menos executado. 

Para que um conteúdo seja considerado que tem storytelling, precisamos de personagens, uma jornada e conflitos. 

Contar uma história, em marketing, significa centralizar as suas palavras em um personagem, uma jornada e um conflito. 

Mesmo nessa situação, você ainda tem um objetivo de marketing, uma meta a ser alcançada, mas o foco é em levar o seu leitor a esse objetivo, e não em expressar qual é o objetivo. 

Para ficar claro, segue um exemplo de conteúdo criado para descrever uma empresa: 

“A empresa foi fundada em 2010 e desde então vem entregando qualidade a todos os clientes”. 

E um exemplo de storytelling: 

Todos nós tivemos experiências parecidas e ficamos surpresos com a dificuldade que é encontrar boas molduras que não custem os olhos da cara. Será que isso não deveria ter uma solução simples?

Storytelling é especialmente importante nas redes sociais, até pela questão de etapa de funil. 

Nas redes sociais temos clientes buscando se divertir, buscando interação com outras pessoas, e não empresas querendo vender seus produtos. 

Entender isso, faz toda a diferença na hora de definir os tipos de conteúdos que serão abordados em cada lugar. Saber que você vai abordar conteúdos de topo de funil, focados em storytelling afeta diretamente todo o seu planejamento de conteúdo. 

Para você ter exemplos práticos, dê uma olhada nas grandes revelações do Instagram aqui no Brasil. Eles não produzem conteúdo, eles trabalham o Storytelling. 

Procure por Icaro de Carvalho, Italo Marsili, Lara Nesteruk, eles não produzem conteúdo, eles vivem o conteúdo e você pode procurar dentre todas as ferramentas de marketing e provavelmente não encontrará nada tão poderoso quanto viver o conteúdo, principalmente quando o assunto é conteúdo para redes sociais.

Se você quiser um exemplo bem real, basta dar uma olhada nessa página de “Quem sou” do site da Lara Nesteruk. Ela poderia simplesmente escrever que ela é uma nutricionista, formada no ano X, na faculdade Y e com especialização em Z. 

Mas ela escolhe envolver, contar uma história, se abrir, deixar claro a personalidade dela ali. 

A boa notícia é que nem todo conteúdo para sites precisa ter storytelling. Se for para escolher apenas um lugar para trabalhar storytelling, escolha o conteúdo para redes sociais e colha frutos maravilhosos. 

Enquanto isso, no seu conteúdo digital que vai para o blog, você pode focar em trabalhar outros tipos de produção de conteúdos que envolvam mais marketing de conteúdo e menos storytelling, afinal, nem sempre é possível informar conteúdos mais densos de forma tão leve como no storytelling. 

 

Marketing de conteúdo e Inbound Marketing

Essa é uma dúvida clássica quando o assunto são conteúdos digitais! 

Muita gente ainda tem dúvida se Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo é a mesma coisa e se ambos podem ser tratados de forma igual dentro do planejamento de Marketing. A resposta é não. 

O marketing de conteúdo é uma das estratégias de Inbound Marketing.

Inbound Marketing pode ser definido como Marketing de Atração. Ou seja, em vez de você ir atrás do cliente, você faz com que os clientes cheguem até você através dos mecanismos de buscas, sites de referência (sites que falem de você) das redes socais, e etc. 

O Inbound Marketing é conhecido como marketing de atração por atrair os clientes em vez de persegui-los. O Marketing de conteúdo consiste em ensinar algo para os clientes para ganhar sua confiança, ajudar na decisão de compra e através do conteúdo de alta qualidade fazer com que esse lead se torne um cliente atual.

 

Marketing de Conteúdo x Copywriting

Tanto o Marketing de Conteúdo quanto o Copywriting envolvem escrever e produzir conteúdo, mas são estratégias diferentes.

Enquanto que o marketing de conteúdo ensina e informa, o copywriting motiva à ação e converte. 

O SEO, em conjunto com uma boa copy no título trabalha a atração de clientes, o marketing de conteúdo informa, o storytelling engaja e o copywriting converte. 

Perceba como dificilmente você encontra uma agência – ou um profissional – que consiga unir o melhor de todos esses mundos e montar campanhas de marketing completas. 

Normalmente precisa-se de 3 ou até mesmo 4 profissionais para realizar tudo isso, e o custo acaba ficando bem alto. 

Nós aqui da Implementa Digital conseguimos unir o melhor de todos esses mundos e oferecemos soluções completas para você a preços acessíveis! 

Nossa produção de conteúdo é voltada para resultados por que conseguimos alinhar conteúdo de qualidade, relevante, constante (e sem atrasos) com técnicas avançadas de SEO e copywriting básico, tudo para que você consiga atrair, engajar, converter e fidelizar os seus clientes. 

Tudo o que escrevemos aqui neste texto foi baseado no nosso dia a dia aqui na agência, em como montamos as estratégias dos nossos clientes, nas ferramentas de marketing que usamos, em como trabalhamos toda a produção de conteúdos que fazemos.

Se você se interessou e quer saber mais sobre nossos serviços e em como podemos ajudar sua empresa a crescer e ter mais clientes, basta entrar em contato! 

Implementa Digital

Implementa Digital

Empresa de Marketing de Conteúdo que alia as melhores práticas de mercado com valor justo. Tudo para você alcançar os resultados que você deseja.

Navegue pelo post